Gameworld

Recomendados

Soul of Gold deve ter sua estreia no final de fevereiro

Superman, Batman e diversos outros medalhões da DC terão capas inspiradas nos mais icônicos filmes do século, como 2001: Uma Odisséia no Espaço, Free Willy e O Máscara

Um grupo de entusiastas, inspirados nas obras de JK Rowling, criam um "Curso para Magos" num castelo na Polônia.

Conversamos com a responsável pelo Resident Evil Database

Se você não aguenta a mesma voz cantando o “lerigou”, que tal ver as melhores adaptações do sucesso musical de Frozen?

Galerias

HotSite Speed
Speed Racer - Jogamos PRIMEIRO o game baseado no filme

O Herói viu Speed Racer. É fantástico. Novamente os irmãos Wachowski revolucionaram o cinema - a primeira foi com a trilogia de Matrix. Não há como não ver algumas cenas e relacionar com Matrix: o estilo deles é único. Se os filmes de corrida, a partir de agora, ganharão um novo formato, pode-se dizer a mesma coisa nos games do gênero. Speed Racer - The Videogame é uma exclusividade do Site Herói; ninguém ainda o jogou. E vocês verão o que alguns belos minutos do jogo pode fazer com uma pessoa (assim como eu) fã de games de corrida, que nasceu jogando F-Zero e ainda assistia todos os dias antes de ir para a escola ao animê de Tatsuo Yoshida, Speed Racer.

Para começar, o teste foi feito em um Nintendo Wii. Com toda a sua modernidade, que foi inovadora para os consoles, Speed Racer - The Videogame encaixa pefeitamente no console. Por quais motivos? Inúmeros. Pode-se dizer pelo visual gráfico, os controles com sensor de movimentos, o volante que permite uma diribilidade fora do comum, e o jeito de pilotar do filme está mais do que presente no game. Derrapagens, loopings, ultrapassagens fantásticas, rodopiação em grande estilo (Michael Schumacher fica bem para trás de Speed no quesito "segurar o carro com as pontas dos dedos"), saltos gigantescos de uma extremidade da pista à outra... Tudo isso faz parte do game-filme e também do filme-game.

Todo mundo desejará ser o Speed Racer ou o Corredor X, não? Bem provável. Mas vale uma ressalva: são mais de dezesseis personagens e carros que estão no filme, e isto inclui o carro da empresa petrolífera brasileira Petrobras, que aparece no filme. Portanto, não fique bravo se o seu oponente escolheu o herói Speed. Tem corredor para todos os gostos.

Por falar em carros e corredores, a Warner Games e a Nintendo pensaram muito bem no quesito jogabilidade. Pensa que você vai pegar o carro que não seja do Speed, que é o melhor do jogo, e não vai sofrer? Engana-se. Até na "calibragem" dos carros o bicho pega pra valer. Enquanto com um veículo você tem uma alta-sensibilidade ao virar o voltante, com outro carro a coisa pode ser diferente e você pode sofrer um bocado. No teste feito pelo editor do Herói, que jogou com o Mach 6 (carro de Speed), o carro do Corredor X e da Petrobras, deu para provar isto. Digo que o da Petrobras tem uma dificuldade maior que o dos outros dois. Já Mach 6 e o possante do Corredor X tem "calibragens" quase iguais.

O que deve interessar mesmo é o visual psicodélico do filme que chegou aos games. Não há palavras para definir o quão bom e perfeito ele é. Também nem tem como reclamar dos efeitos visuais enquanto se joga. Se você viu o filme, se deslumbrará com o game. É aquela sensação de estar mesmo a 400 Km/h, de ver as cores do game passar "voando" pela tela (uma televisão grande ajuda muito)... Vocês se lembram de um desenho de Pokémon que foi proibido no Japão e em vários lugares do mundo porque causava ataque epilético nas crianças? A sensação que dá é que você vai cair de costas pelo visual magnífico, ter um "treco" ou algo do tipo. Mas sabemos que não é o caso deste game.

Sinceramente, eu não consegui nem piscar os olhos direito. Fiquei fascinado com o visual, queria aproveitar cada detalhe do game, aproveitar ao máximo o controle-sensação do Wii... Depois de jogos como Nascar e Fórmula 1, pelos quais eu sou um grande fã, este game é daqueles para você babar. Ficar com a boca aberta e falar palavras feias a cada dez segundos de jogo faz parte. Sim, isto parece ser um plano da Nintendo ao lado da Warner Games, mas a verdade é que é para babar muito e não ter vergonha de ser chamado de babão.

Caso você tenha um Nintendo Wii na sua casa, o Herói recomenda o jogo. Se você não for um dos felizardos, assim como eu, que não tem este console, o jeito é ir na casa de um amigo ou agendar uma hora na videogame house.

Assim como o Herói jogou o game de Speed Racer, vimos o filme também (isto tudo no mesmo dia), que você confere a crítica mais tarde. Fiquem ligados pois faremos vídeos com o pessoal da Nintendo World, EGM e, claro, com o editor do Herói, para vocês sentirem o gosto do game.

Se você tem pressa, assim como Speed, o jeito é ter um Gorducho ao seu lado para gritar: Vai Speed, vai.


Legenda das fotos: de vermelho, Rodolfo Bruno Braz, editor do Site Herói. De branco, Orlando Ortiz, editor da Nintendo World.